3º Seminário de Oncologia Pediátrica

A Fundação Calouste Gulbenkian recebeu no passado dia 11 de fevereiro, o 3º Seminário de Oncologia Pediátrica, promovido pela Fundação Rui Osório de Castro, para PAIS, FAMILIARES e AMIGOS de crianças/adolescentes com cancro.

Este seminário contou com cerca de 120 participantes – familiares de crianças com doença oncológica, sobreviventes, voluntários, estudantes e profissionais de Oncologia Pediátrica – que com a sua experiência, quer técnica, quer empírica, em muito enriqueceram esta partilha de informação.

Na abertura deste dia tivemos a Presidente da Fundação Rui Osório de Castro, Maria Karla Osório de Castro, e a Directora Geral da AcreditarMargarida Cruz, que sublinhou a importância deste tipo de iniciativas para a oncologia pediátrica em Portugal, conseguir durante um dia ter na mesma sala profissionais, voluntários, organizações sociais e claro está as familias.

Contámos com cinco painéis:

  • A alimentação no Cancro” onde Diana e Silva do Hospital de São João Porto e Laura Ribeiro do IPOFG Porto expuseram as suas a perspetiva sobre o tema e a forma como a Nutrição é abordada nos Serviços em que trabalham. A Susana do Canto, Mãe da Frederica, com a sua experiencia falou sobre as dúvidas e dificuldades de uma mãe. Este painel contou com a moderação de Marlene Carriço, jornalista do Observador.
  •  No painel “Impacto da Doença na vida de um adolescente” tivemos mais uma vez Maria de Jesus Moura, Directora da Unidade de Psicologia do IPOFG de Lisboa e Manuel de Brito, Médico Oncologista Pediatra no Hospital Pediátrico de Coimbra – CHUC que abordaram, cada um na sua área várias questões sobre o impacto de um cancro nesta idade critica do crescimento físico e emocional de uma pessoa. O Paulo Ponte, sobrevivente de cancro entre os 9 e 12 anos contou-nos a sua história e o que é ser um sobrevivente de cancro durante a adolescência. Neste painel contámos com a moderação de Dora Pires, jornalista da TSF.
  • O painel “Com o que podemos contar” foi o painel com o maior número de oradores. Tivemos as apresentações de 3 assistentes sociais, Manuela Paiva, do IPOFG Lisboa, Rosa Gomes, do Hospital Pediátrico Coimbra e Cristina Martins do IPOFG Porto que nos apresentaram a realidade dos dias de hoje, a forma como enquadram os pais relativamente aos seus direitos e deveres, as dificuldades com que se deparam e também deixando algumas sugestões. Contámos também com a presença de algumas organizações sociais que trabalham todos os dias para, cada uma da sua forma, ajudar as crianças com doença oncológica e as suas famílias: A Acreditar, com a Alexandra Correia, A Liga Portuguesa Contra o Cancro com a Helena Grilo, a Terra dos Sonhos, com a Mara Santos e a Make a Wish com a Inês Sêco. A Vanda e o Nuno Rebelo, pais do Martim, deram-nos um fantástico testemunho sobre a forma como cada um lidou com o cancro do Martim. Este painel foi moderado pela Romana Santos, jornalista do Publico.
  • O que está a acontecer e a importância da Investigação em Oncologia Pediátrica foi o 3º painel deste 3º seminário. Neste painel tivemos Nuno Miranda, Director do Programa Nacional das Doenças Oncológicas e Nuno Farinha, Médico Oncologista Pediátrico no Hospital de São João do Porto e também Presidente da SHOP (Sociedade de Hematologia e Oncologia Pediátrica). A moderar este bloco tivemos Cláudia Pinto, jornalista freelancer que colabora com o Observador e com a Noticias Magazine.
  • Disponibilizámos um espaço de tempo onde Filomena Pereira, Directora do Serviço de Pediátrica do IPOFG de Lisboa,  Armando Pinto, Director do Serviço de Pediatria do IPOFG do Porto e Nuno Farinha se disponibilizaram a responder a qualquer pergunta que os participantes quisessem colocar.
(Consulte no final da página as apresentações dos oradores convidados.)

Nesta 3ª edição do Seminário de Oncologia pediátrica tivemos também o anúncio e atribuição do 1º Prémio Rui Osório de Castro / Millennium bcp, iniciativa que contou como 17 candidaturas, todos com o objectivo de promover a melhoria dos cuidados prestados a crianças com doença oncológica. Pela excelência dos projectos apresentados além do vencedor foram atribuídas duas menções honrosas.

O grande vencedor foi o projeto “O papel da procaltitotina e outras variáveis na mudança da antibioticoterapia endovenosa para oral nas crianças com doença oncológica e neutropenia febril, da responsabilidade de Joaquim Duarte, do Serviço de Pediatria do Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil de Lisboa.  A primeira menção honrosa foi atribuida ao projecto Famílias e risco psicossocial no cancro pediátrico: Validação da Psychosocial Assessment Tool (PAT) em Portugal, da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e a segunda ao projeto “Usa a Cabeça”, da Unidade de Hematologia e Oncologia Pediátrica do Centro Hospitalar de São João.

 

DOCUMENTOS PARA DOWNLOAD